Seguir por Email

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Dicas de Montevidéu



Olá gente!!


Hoje vou contar sobre a minha viagem e dar algumas dicas sobre Montevidéu – Uruguai.


Bom, viajei em setembro de 2014 e o clima estava bem agradável, pegamos apenas uma chuva na chegada. Na verdade era aquele friozinho gostoso, que se resolve com um casaco não tão levinho assim e à noite, com um cachecol também. Eu particularmente adoro esse clima, mas para quem não gosta, recomendo que vá de outubro para frente, pois o verão estará se aproximando e as temperaturas sobem.


Como estávamos voltando de Punta del Este no carro alugado e não precisaríamos dele em Montevidéu (os passeios a pé e ônibus nos atenderam muito bem), assim que chegamos à cidade fomos entregar o veículo. Optamos por devolvê-lo no shopping Punta Carretas, pois é o principal shopping da cidade e aproveitamos para almoçar por lá. Na verdade achei o shopping pequeno, acho que esperava mais por ser o mais famoso da cidade. Ah, falando em Punta Carretas, esse é, juntamente com Pocitos, um dos melhores bairros para se hospedar, ok? Nesses dois bairros há muitas opções de restaurantes e passeios e me pareceram seguros. Fiquei no Palm Beach Plaza Hotel, em Pocitos, e recomendo demais. O quarto e o café-da-manhã são muito bons e os funcionários, muito simpáticos. Estão acostumados a receber brasileiros e falam bem o português.
Quanto aos pontos turísticos, vou listar abaixo os que visitei, lembrando que tem ainda o estádio Centenário, mas como ele foi cortado da minha lista, não posso falar muito sobre ele. Caso você seja fã de futebol, acho que vale a visita!



- Parque Rodó: esse parque é simplesmente lindo, fiquei apaixonada!!! Ótimo para dar um passeio despretensioso, namorar, meditar... achei bem tranquilo, pouco movimentado (talvez porque eu tenha ida durante a semana) J. É possível chegar lá de ônibus tranquilamente, tem um ponto de ônibus quase na frente da entrada. No nosso caso, fomos a pé, pois nesse dia estávamos inspirados e cruzamos a cidade a pé mesmo. Na volta, pegamos um ônibus.






- Mirante da Prefeitura: o prédio da prefeitura fica numa das principais avenidas da cidade, a 18 de Julho. É um prédio de tijolinhos e a princípio, não parece ter muita coisa interessante por lá. Acontece que no topo do prédio tem um mirante que nos proporciona vistas lindas da cidade e o melhor: é de graça! Para subir, basta ir ao posto de informações turísticas ao lado da prefeitura e pedir os ingressos. Você pode ficar por lá o tempo que quiser!






- Praça da Independência: principal praça da cidade e ponto de referência na cidade, abriga a estátua do general Artigas, uma figura importante na Revolução do Rio da Prata. A praça é linda e demarca o início da Avenida 18 de Julho que mencionei acima.






- Mercado do Porto: localizado na Ciudad Vieja (Cidade Velha), nele é possível comprar souvenirs (preços não muito amigos, como é de se esperar), mas a principal atração de lá são os restaurantes tradicionais, que ofecerem as parilladas, típico churrasco uruguaio. Comemos no restaurante que me parece ser o mais bem conceituado por lá, o El Palenque. Só digo uma coisa: Morri! Namorado também morreu! Pense numa carne macia, no ponto certo, bem temperadinha! O preço não foi dos mais baratos, mas definitivamente, compensa. Pior: concentramos tanto na comida que não tiramos foto nenhuma do mercado L.

- Teatro Solís: localizado também na Ciudad Vieja, está próximo à Praça da Independência. Inaugurado em 1856, é a maior casa de espetáculos do Uruguai. Há visitas guiadas, mas eu não fiz. Apenas entrei rapidamente para ver como era por dentro. É bem bonito, espaçoso e me atrevi a dar uma espiada em uma das salas onde estava tendo um espetáculo. Pelo que vi, a sala parecia bem grande e muito bonita! Infelizmente não demos ao Teatro Solís a atenção devida, pois passamos por ele já na volta da nossa longa caminhada e estávamos mortos, então só demos uma olhada rápida mesmo. As fotos também não ficaram muito boas porque a região estava lotada, no horário do pessoal sair do trabalho, então era um mundo de gente passando na frente o tempo todo, infelizmente.





- Jardim Botânico: já começo avisando que sou a doida dos jardins botânicos e zoológicos! Nem sei se tem zoológico por lá, mas sei que jardim botânico tem, então tive que ir! Ele não costuma entrar nos roteiros tradicionais, até porque ele fica meio afastado das principais atrações da cidade, então não espere encontrar turistas por lá. O que mais vimos foram moradores passeando, correndo ou apenas batendo papo nos banquinhos e apreciando a belíssima paisagem. Nós fomos de ônibus e a viagem durou, se não me engano, cerca de 40 minutos. O Jardim fica no bairro Prado, um bairro residencial de classe alta, com casarões antigos lindíssimos. Babei!!!





- Museu Blanes e Jardim Japonês: encerrando nosso passeio pelo bairro de Prado, saímos a pé do Jardim Botânico e seguimos para o Museu Blanes, que conta ainda com um jardim japonês aos fundos que é simplesmente maravilhoso!! No horário que fomos, ambos estavam fechados, mas deu para aproveitar o jardim japonês, pois apesar de não poder entrar e tirar fotos da gente lá do meio, dá para apreciar normalmente pelo lado de fora, pois tem apenas uma cerca baixinha que não interfere em nada. Recomendo demais tanto o Jardim Botânico, quanto o Jardim Japonês para os amantes da natureza e para dar uma escapadinha dos ares da cidade.








- Ramblas de Montevidéu: as ramblas são as avenidas à beira-mar da cidade que contam com calçadões utilizados pelos moradores e visitantes para passeios, caminhadas, atividades físicas ou apenas para contemplar a praia enquanto tomam um mate quente e fumam uma maconha, já que lá é legalizado. Bem, apesar de falarmos que são avenidas à beira-mar, na verdade estamos nos referindo ao Rio de la Plata, mas o visual é de uma praia de águas tranquilas mesmo. Achei um dos passeios mais agradáveis para se fazer na cidade. Na Rambla República del Peru, no bairro de Pocitos, há um letreiro com o nome da cidade, que rende umas fotos bem legais.







Bom, para encerrar, não posso deixar de mencionar que é obrigatório provar as parilladas, os doces de leite e a bebida típica de lá, o medio y medio, que é uma mistura de vinho branco e espumante (foto abaixo). É tudo indecente de bom! As carnes são excelentes! Comemos churrasco todos os dias que estivemos no Uruguai, na maioria das vezes acompanhado de batata com gorgonzola (huuuummmmmmm...). Quanto ao doce de leite, provei o da marca mais famosa, Lapataia, e um de uma marca mais popular, a Conaprole. Sinceramente, gostei mais do Conaprole!

Por hoje é isso, pessoal! Espero que gostem!